Category: Digital

Media Digital

How the “I-Think” journalism brought us to the mud

Open up your preferred publication. As it is likely, you only keep that as “preferred” for your identity-building, as it’s highly unlikely that you read, watches or listen more than 50% of your content diet from there. But, anyway, take a look at the headlines you have.…

Technology, and not the tech giants, is still the best chance for media to get subscribers back

Subscriptions, not ads nor social-generated windfall miracles seem to be, after all, the most credible way for journalism to regain solid ground. Hear no mermaid singing of trendy tech cornucopias: Even if still away from sustainability – let alone the fat margins of pre-digital – the consistent deployment of readers paying for journalism is the conducting wire behind some shimmering hope in a scorched earth media environment.…

Why regulation can help the tech giants to work better

It’s been some time since social networks earned free media exposition for events that promised an everlasting and positive impact on society. Facebook’s dystopic myriad of leaks and misuses, Twitter’s struggles to avoid hate speech to flow through its platform and an increasing number of people with the ability to game the system took away the cool aura that once floated over California.…

Escoriocracia: como a tecnologia coloca o pior da sociedade no poder

  Quase que só no âmbito jornalístico ou nos mais sofisticados ambientes intelectuais é que se discute no Brasil a crescente pressão do cenário político americano que é fruto de um fenômeno mediático e tecnológico. O evento das fake news é muito mais profundo do que a compra de anúncios no Facebook por indivíduos russo supostamente a mando de Vladimir Putin.…

‘Direito de ser esquecido’ carrega dilema fundamental do digital

O Google anunciou uma série de palestras em vários países para discutir a validade ética e legal da decisão da Suprema Corte Europeia a respeito do “Direito a ser Esquecido”, que determina que a empresa tem a obrigação de tirar de seus resultados de busca os links para artigos que sejam “inadequados, irrelevantes ou que tenham deixado de ser relevantes” quando membros do público assim desejarem.…

Ataques à liberdade na Internet voltam em tons mais sutis

Na Europa, uma decisão da Suprema Corte Européia decidiu que os motores de busca (leia-se, o Google, que detêm 90% do mercado europeu)  terão de retirar resultados que os usuários acharem “irrelevantes” sobre eles mesmos; nos EUA, um juiz deu ganho de causa aos provedores de acesso à Internet para eles cobrarem valores extras de “grandes consumidores de banda” (Netflix, Hulu, Aereo, etc).…

2017, o último ano do século XX

Imprensa e o poder político sempre andam juntos. Mesmo em países nos quais os meios de comunicação têm mais independência, o relacionamento precisa ser estreito. Afinal, rádios e TVs dependem de concessão governamental. Por isso, 2017 é o último ano do século XX no que diz respeito à mídia.…

Já há informação em excesso – o desafio agora é como validá-la

odos os dias, um bilhão de posts são carregados no Facebook; 400 milhões de tweets são postados no Twitter e por mês, somente o WordPress publica cerca de 40 milhões de novos artigos. Não estamos atingindo a saturação agora – já a ultrapassamos há muito tempo, mas esses números só tendem a aumentar.…

Sem neutralidade da web, Brasil condena a liberdade de expressão

As empresas de telecomunicação querem, com a colaboração do PMDB, acabar com a neutralidade da web no Brasil. As empresas de tecnologia são contra, junto com a Rede Globo. Aprovada como as Teles querem, lei garante que as empresas que fornecem acesso à Internet não possam cobrar mais de você se você assiste mais vídeos no YouTube, joga mais GTA5 online ou se gosta de acessar sites pornográficos.…

Pressão exagerada de investidores ameaça grandes produtos

Nem sempre uma boa ideia vira um bom produto. As sementes dos bons produtos, na verdade, na maioria das vezes acaba não dando em nada. Timing, investimento, bom senso e trabalho duro estão por trás de qualquer sucesso em qualquer indústria.…

Suspeita de Princeton sobre Facebook pode não ser tão absurda

Dois pesquisadores da Universidade de Princeton levantaram uma certa polêmica nesta semana ao publicar um estudo (pdf) que aposta numa queda de 80% na base de usuários do Facebook num prazo curto (entre um e três anos). A rede social de Mark Zuckerberg tirou um sarro da pesquisa (de modo até bem-humorado, dizendo que Princeton não terá mais nenhum aluno até 2021), mas a leitura do estudo suscita uma ideia interessante e mesmo que a previsão seja catastrofista demais (para o Facebook, claro), carrega indicadores que apontam um caminho no qual o futuro seja mais nicho e hiperconexão do que massa e plataformas fechadas.…

Por que a espionagem americana na web interessa a você

De longe, todo político é democrata. Todo mundo chegou ao poder pelos braços do povo, todo mundo é transparente e todo mundo é a favor da lei. Contudo, a ascensão ao poder transforma os poucos políticos bem-intencionados em políticos ‘clássicos’. Esta é a primeira razão pela qual você deve, sim, se preocupar com a espionagem em massa que o governo norte-americano está fazendo com a NSA.…