O futuro da notícia está no crowdsourcing

Nesta segunda-feira, quando o furacão Sandy começou a chibatear Nova York e pelo menos outros três estados, um evento demonstrou o poder do desenvolvimento das novas mídias digitais. Enquanto todas as empresas de comunicação não-estritamente-locais do país (mais as estritamente locais da Costa Leste) despejaram todos os seus recursos para cobrir o evento, cerca de 600 fotos do evento eram postadas a cada segundo no Twitter usando outros serviços de imagem como Flickr e Instagram. Se todos os fotógrafos profissionais dos Estados Unidos (cerca de 160  mil hoje) estivessem amontoados na Costa Leste cobrindo o evento, precisariam tirar pelo menos 13 fotos por hora para acompanhar o ritmo. Deu para entender?

Hurricane Sandy & Marblehead [Front Street]
Hurricane Sandy & Marblehead [Front Street] (Photo credit: The Birkes)
A comparação numérica não serve para diminuir a necessidade do trabalho dos fotógrafos profissionais, porque nem toda mídia se dedica à cobertura de breaking news, mas serve para mostrar que o potencial ainda não destravado na mídia digital e sua penetração nas redes sociais é absolutamente incomparável a tudo que a imprensa já viu nos seus pouco mais de três séculos de história. E ignorar isso não é só burrice, mas também o equivalente a parar um cometa com uma folha de papel.

A onipresença e natureza fragmentada da capacidade de produção de material coletado na “multidão” (alguém precisa arrumar uma tradução melhor para crowd) fazem dela a fornecedora natural de informação em eventos cobertos ao vivo. O caso do furacão Sandy nem é o ideal. Um tsunami como o ocorrido na Ásia em 2005 hoje seria apresentado com uma quantidade furiosa de imagens, exatamente pela sua natureza imprevisível e pela sua localização geográfica fora do eixo.

Com a transformação do telefone celular em uma ferramenta multiuso, a capacidade de coleta de dados que qualquer pessoas estará apta a fazer tende a tornar o potencial digital em informação. Na verdade, hoje, já há uma grande quantidade de informação coletada que não é usada por falta de hubs que consigam canalizar esse produto. Administradores em busca de cortes de custos em suas imensas corporações, estejam avisados.

 

 

 

Cassiano Gobbet

I am a journalist, interested in everything related to the equation technology + communication.