Wikipedia, jornalismo e o neojornalismo

Uma informação dada pelo Mediashift mostra que foram necessários 660 segundos para que a [[Wikipedia]] tivesse o seu primeiro verbete sobre o tsunami no Japão, em japonês. Vinte e um minutos mais tarde, já havia uma versão em inglês do mesmo verbete. O [[New York Times]], titã e marca famosíssima do jornalismo mundial, levou 180 minutos para dar a primeira nota em seu site. A Wikipedia, desde sua origem, se propôs a não ser uma ferramenta jornalística, tentando se dedicar à sua vocação enciclopédica. Contudo, a natureza de sua existência baseada no [[crowdsource]] a obriga a aceitar papeis mesmo contra sua vontade. Hoje, o site criado por [[Jimmy Wales]], é indiscutivelmente mais jornalístico do que muitos dos players da mídia tradicional.

Na verdade, quando a Wikipedia foi pensada, há cerca de uma década, raríssimas pessoas poderiam imaginar que a produção de conteúdo por parte dos usuários transformaria-se num avassalador provedor da web. O sucesso da empreitada tornou-se um desafio, uma vez que o crowdsource não pára de dar mostras que está deixando de ser uma opção para se transformar na regra. Em vez de gerir grandes pólos de produção de conteúdo, as empresas de informação precisam desenvolver novas maneiras de fazer curadoria e gestão de conteúdo produzido por centenas e milhares de provedores. A lógica da coisa segue a mesma – tentar oferecer a informação mais precisa – mas mudou o viés.

A migração da condição do crowdsource de “opção” para “regra” cria novos dilemas para o jornalismo. Faz sentido manter escolas de jornalismo que se preocupam com um currículo de 50 anos atrás e não colocam no mercado profissionais que escrevam com a gramática correta? Vale a pena procurar jornalistas diplomados em vez de analistas especializados em determinados assuntos que escrevam bem? Como controlar o fluxo e informação deixando de gerenciar dez provedores para tomar conta de dez mil? Poder vem com responsabilidade, e o jornalismo colaborativo precisa estar atento ao fato de que tem cada vez mais dos dois. Por isso, estar atento aos riscos no neojornalismo é fundamental, bem como, aproveitar as gigantescas oportunidades que ele oferece.

 

 

Cassiano Gobbet

I am a journalist, interested in everything related to the equation technology + communication.