Data Journalism, o velho jornalismo na era digital

O jornalismo muda, mas o jornalismo continua o mesmo. Contas boas histórias e levantar fatos que passam desapercebidos pela atenção do público é desde sempre a tarefa primordial de jornalistas e jornais (ou órgãos noticiosos em geral). O Guardian, que tem se destacado muito nos últimos anos na gestão do switch digital que varre o jornalismo de fora a fora, tem um grande exemplo disso: o seu blog sobre data journalism.

O Guardian saiu na frenta na descoberta do mundo digital há pouco mais de dez anos quando começou a se desenhar na direção do Scots Trust, a entidade mantenedora do jornal, a nnecessidade de se fazer uma migração para o mdigital. Contrariando todos os concorrentes (e mesmo a BBC, que pela sua origem em rádio deTV deveria ter iniciado a mudança, vindo a fazer a guinada com intensidade somente anos depois). A vanguarda rendeu frutos e o Guardian hoje é um show de data journalism (se você tiver dúvidas, veha a definição da Wikipedia).

O trabalho do Guardian basicamente é o de reunir fatos espalhados e apresentá-los sob visualizações incomuns. Hoje, esse tipod e trabalho não só vai ficando cada vez mais possível mas também cada vez mais necessário, porque o público em geral só se comove quando toma um murro na cara. Pegando um exemplo atual, nesse link é possível ver como a canalha republicana do atual Congresso americano deveria ter vergonha de impedir a reforma pedida por Barack Obama, uma vez que esse aumento da capacidade de endividamento foi às nuvens sob a gestão de um republicano, o presidente Reagan e sua Reaganomics.

O Guardian não é o único. O El Pais e outros jornais espanhois (como o Marca) são excelentes nos infográficos, muito mais espetaculares visualmente. O que é legal no Guardian é mesmo o modo como as informações a apurações dão origem à matéria (enquanto os infográficos, ainda que fantásticos como esse de 2007, não sejam tão baseados em informação).

O Brasil está muito atrás nisso, e poucas iniciativas surgm da exploração de bancos de dados visualmente. Um projeto legal é o Cheque Essa URL, que se propõe a mostrar quem são os doadoresem campanhas eleitorais nas empresas de informação. O ruim é que ele ainda…não funciona e precisa de lapidação técnica. A iniciativa e ideia contudo, são de primeira. O jornalismo ganha espaço de todos os lados. Escrever é só uma fatia do novo bizinís. Mas o princípio é sempre o mesmo: me conte o que eu não se e precisaria saber de uma maneira legal.

 

Cassiano Gobbet

I am a journalist, interested in everything related to the equation technology + communication.